A clínica ampliada e a formação médica

conhecimento de estudantes de um curso de Medicina do Nordeste brasileiro

Autores

  • Maria das Graças Monte Melo Taveira Maria das Graças Monte Melo Taveira
  • Divanise Suruagy Correia Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina – Maceió (AL), Brasil.
  • Maria Stella Jakeline Alves Farias Universidade Federal de Alagoas – Maceió (AL), Brazil.
  • Jorge Artur Peçanha de Miranda Coelho Universidade Federal de Alagoas – Maceió (AL), Brazil.
  • Carlos Dornels Freire de Souza Universidade Federal de Alagoas, Complexo de Ciências Médicas e Enfermagem – Arapiraca (AL), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-7995-1893

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc17(44)2840

Palavras-chave:

Clínica Ampliada; Estudantes; Internato e Residência; Medicina.

Resumo

Introdução: A Clínica Ampliada busca a integração e a construção de vínculos entre profissionais e usuários do sistema de saúde, expandindo os recursos de intervenção sobre o processo saúde-doença. Objetivo: Este estudo objetivou analisar o conhecimento sobre Clínica Ampliada entre estudantes do internato de um curso de Medicina no Nordeste brasileiro. Métodos: Trata-se de um estudo qualitativo realizado em 2017, que envolveu 25 acadêmicos de Medicina da Universidade Federal de Alagoas. Os dados foram coletados por meio de um questionário sobre o tema estudado e analisados pelo programa Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires (IRAMUTEQ). Resultados: Foram observadas cinco classes de conhecimento sobre Clínica Ampliada: “aplicação”, “conhecimento”, “espaço de uso no internato”, “vivência” e “desafios da formação”. Os estudantes conhecem-na, e a formação médica por eles vivenciada apoia-se na perspectiva do cuidado ampliado, principalmente na atenção básica. Nos demais níveis de atenção ela é pouco trabalhada. Conclusões: Conclui-se que, embora avanços sejam notados no percurso formativo do curso em questão, ainda persiste a necessidade de melhor articulação no que se refere à aplicação da Clínica Ampliada em todos os níveis de atenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Cunha GT. A construção da clínica ampliada na atenção básica. São Paulo: Hucitec; 2005.

Reinheimer AS, Nascimento DDG, Cunha GT, Machado JFP, Ishiyama LA, Oliveira MAC, et al. A clínica ampliada no contexto da atenção primária em saúde. In: Geniole LAI, Kodjaoglanian VL, Vieira CCA, Machado JFP, Santos MLM. Pós-graduação em Atenção Básica em Saúde da Família. Módulo Optativo 10.MS. Campo Grande: Editora UFMS; 2012. p. 15-157.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Clínica ampliada e compartilhada. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução no 3, de 20 de junho de 2014. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e dá outras providências. Disponível em: https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/view/CNE_RES_CNECESN32014.pdf?query=classificacao

Farias MSJA, Correia DS, Taveira MGMM, Vilela RQB. Extended clinic in the family health strategy by medical students. International Journal of Medical Science and Clinical Inventions 2016;3(4):1803-7. https://doi.org/10.18535/IJMSCI/V3I4.11 DOI: https://doi.org/10.18535/ijmsci/v3i4.11

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Cavalcante JK, Soares FJP, Correia DS. Desenvolvimento discente no estágio em estratégia saúde da família. Rev Bras Educ Med 2014;38(1):15-24. https://doi.org/10.1590/S0100-55022014000100003 DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022014000100003

Iramuteq. Interface de R pour les analyses multidimensionnelles de textes et de questionnaires. Un logiciel libre construit avec des logiciels libres. Disponível em: http://www.iramuteq.org.

Nascimento ARA, Menandro PRM. Análise lexical e análise de conteúdo: uma proposta de utilização conjugada. Estud Pesqui Psicol 2006;6(2):72-88.

Loubère L, Ratinaud P. Documentation IRaMuTeQ. 0.6 alpha 3, versión 0.1. Disponível em: http://www.iramuteq.org/documentation/fichiers/documentation_19_02_2014.pdf/at_download/file

Reinert M, Alceste. Version 4.0 – Windows (Manual). Toulouse: Societé IMAGE, 1998. Disponível em: www.alcestesoftware.com.br/manuais/alceste-manual.pdf

Hafner MLMB, Moraes MAA, Marvulo MML, Braccialli LAD, Carvalho MHR, Gomes R. A formação médica e a clínica ampliada: resultados de uma experiência brasileira. Ciênc Saúde Coletiva 2010;15(Supl. 1):1715-24. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700083 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700083

Freitas FF, Carvalho YM, Mendes VM. Educação física e saúde: aproximações com a “Clínica Ampliada”. Rev Bras Ciênc Esporte 2013;35(3):639-56. https://doi.org/10.1590/S0101-32892013000300009 DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-32892013000300009

Cambuy K, Amatuzzi MM. Experiências comunitárias: repensando a clínica psicológica no SUS. Psicol Soc 2012;24(3):674-83. https://doi.org/10.1590/S0102-71822012000300020 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-71822012000300020

Pio DAM, Oliveira MM. Educação em saúde para atenção à gestante: paralelo de experiências entre Brasil e Portugal. Saude Soc 2014;23(1):313-24. https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000100025 DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000100025

Baade RTW, Bueno E. Coconstrução da autonomia do cuidado da pessoa com diabetes. Interface 2016;20(59):941-51. https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0130 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0130

Cunha AC, Pio DAM, Raccioni TM. Acompanhamento terapêutico: concepções e possibilidades em serviços de saúde mental. Psicol Ciênc Prof 2017;37(3):638-51. https://doi.org/10.1590/1982-3703000092016 DOI: https://doi.org/10.1590/1982-3703000092016

Silva MVO, Costa FRM, Neves LM. Programa de intensificação de cuidados: experiência docente-assistencial em Psicologia e reforma Psiquiátrica. Psicol Ciênc Prof 2010;30(4):882-95. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932010000400016

Souza CDF, Correia DS, Araújo MDP, Wanderley RA, Machado MF. E o passado é uma roupa que não nos serve mais: uma reflexão sobre integração ensino-saúde-comunidade em curso médico do Nordeste. Rev Bras Educ Med 2019;43(1 suppl 1):7-11. https://doi.org/10.1590/1981-5271v43suplemento1-Editorial DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5271v43suplemento1-editorial

Figueiredo MD, Campos GWS. O apoio Paideia como metodologia para processos de formação em saúde. Interface (Botucatu) 2014; 18 Supl. 1:931-43. https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0323 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0323

Nascimento GM, Almeida Júnior SL, Silva AMTC, Carvalho IGM, Santos SMR, Almeida RJ. Avaliação da relação médico-paciente em alunos internos de um Curso de Medicina. Rev Bras Educ Med 2018;42(1):159-68. http://doi.org/10.1590/1981-52712018v42n1RB20170058 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-52712018v42n1rb20170058

Costa JRB, Romano VR, Costa RR, Vitorino RR, Alves LA, Gomes AP, et al. Formação médica na estratégia de saúde da família: percepções discentes. Rev Bras Educ Med 2012;36(3):387-400. https://doi.org/10.1590/S0100-55022012000500014 DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022012000500014

Storti MMT, Oliveira FP, Xavier AL. A expansão de vagas de residência de Medicina de Família e Comunidade por municípios e o Programa Mais Médicos. Interface 2017;21(Supl 1):1301-13. https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0511 DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0511

Taveira MGMM, Pedrosa AAM, Cavalcante JK, Santos RO. PROVAB: Visão de Médicos Participantes. Revista Portal: Saúde e Sociedade 2016;1(3):258-74. https://doi.org/10.28998/rpss.v1i3 DOI: https://doi.org/10.28998/2525-4200.2016v1n3.258-274

Campos GWS. Saúde paidéia. São Paulo: Editora Hucitec; 2003.

Moreira MCN. A construção da clínica ampliada na atenção básica. Cad Saúde Pública 2007;23(7):1737-9. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007000700030 DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007000700030

Bowen P, Campbele S, Bjoke C, Sibbald B. Team structure, team climate and the quality of care: an observational study. Qual Saf Health Care 2003;12(4):273-9. https://doi.org/10.1136%2Fqhc.12.4.273 DOI: https://doi.org/10.1136/qhc.12.4.273

Lima MADS. O trabalho de enfermagem na produção de cuidados de saúde no modelo clínico [dissertação de mestrado]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo; 1998.

Publicado

2022-04-24

Como Citar

1.
Taveira M das GMM, Correia DS, Farias MSJA, Coelho JAP de M, Souza CDF de. A clínica ampliada e a formação médica: conhecimento de estudantes de um curso de Medicina do Nordeste brasileiro. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 24º de abril de 2022 [citado 27º de maio de 2022];17(44):2840. Disponível em: https://rbmfc.emnuvens.com.br/rbmfc/article/view/2840

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa