Elaboração e validação do protocolo de desprescrição do clonazepam em idosos

Palavras-chave: Protocolos, Desprescrições, Clonazepam, Idoso, Geriatria

Resumo

Introdução: Algumas alterações fisiológicas que ocorrem no indivíduo idoso favorecem o acúmulo e a intoxicação por medicamentos. Dentre estes, podemos citar a classe dos benzodiazepínicos, medicamentos que, apesar de amplamente prescritos, principalmente para tratamento de distúrbios do sono e ansiedade, são considerados potencialmente inapropriados para o uso em idosos. Portanto, a elaboração de protocolos para desprescrição desses medicamentos é estratégia necessária na gestão do cuidado dos pacientes geriátricos. Objetivo: Elaborar e validar um protocolo de desprescrição do clonazepam para idosos que fazem uso deste medicamento para ansiedade ou insônia. Métodos: Estudo metodológico, desenvolvido em duas etapas, sendo elas a elaboração e a validação do protocolo de desprescrição do clonazepam para idosos que fazem uso desse medicamento para ansiedade ou insônia, excetuando-se aqueles que preenchem os critérios de exclusão. A elaboração do protocolo resultou em três produtos: um fluxograma de desprescrição, um folheto sobre higiene do sono e um folheto contendo os benefícios da desprescrição do clonazepam sob supervisão médica. A validação do protocolo foi realizada por médicos especialistas, por meio da Técnica de Delphi. Já na validação dos folhetos, participaram, além dos especialistas, indivíduos com 60 anos ou mais, de ambos os sexos, que não fizessem uso do clonazepam. A partir dos resultados obtidos, foi analisada a concordância da avaliação por meio do Coeficiente de Validade de Conteúdo (CVC), uma vez que essa ferramenta objetiva medir o grau de concordância dos juízes participantes do processo de validação. Resultados: O fluxograma foi considerado validado após a segunda rodada de avaliação, pois todos os itens avaliados obtiveram CVC igual ou superior a 0,8 nesta rodada. Os folhetos foram considerados validados já na primeira rodada de avaliação, pois todos os itens também obtiveram CVC superior a 0,8 durante esta rodada. Conclusão: Considerando os resultados obtidos, o protocolo se apresenta como uma ferramenta importante ao guiar a conduta médica no processo de desprescrição do clonazepam.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

André De Oliveira Baldoni, Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ). Divinópolis, Minas Gerais.

Professor Adjunto da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), campus Divinópolis-MG.Graduado em Farmácia, modalidade Análises Clínicas, pela Universidade Federal de Alfenas-MG (UNIFAL-MG) em 2006. Mestrado (2010) e Doutorado (2013) em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - Universidade de São Paulo (FCFRP-USP) (2010), na área de Assistência Farmacêutica e Farmácia Clínica. Organizador das duas edições do livro Farmacoterapia: Guia terapêutico de doenças mais prevalentes (2013 e 2017). Orientador de mestrado e doutorado no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde e mestrado no Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas da UFSJ. Atualmente é coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas da UFSJ (2019-2021), membro da Sociedade Brasileira de Ciências Farmacêuticas (ABCF), do "Brazil Chapter - International Society for Pharmacoepidemiology (ISPE)", do Grupo de Pesquisa "Epidemiologia e Avaliação de Novas Tecnologias em Saúde". Foi membro do Comitê de Ética em Pesquisa UFSJ/CCO (2014 a 2017), da Comissão Assessora de Farmácia Clínica do Conselho Regional de Farmácia do Estado de Minas Gerais (CRF-MG), de 2016 a 2017 e da Comissão de Iniciação Científica da UFSJ (2015 - 2019). Foi coordenador do serviço de Farmácia Clínica do ambulatório universitário da UFSJ e do PET-Saúde/GraduaSUS (Programa de Educação pelo trabalho para a saúde) Farmácia Clínica. Atua na área de Farmacoterapia, Assistência Farmacêutica, Farmácia Clínica, Cuidado Farmacêutico, Farmacoepidemiologia, Geriatria.

Priscilla Ferreira Zadra, Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ). Divinópolis, Minas Gerais.

Acadêmica de medicina da Universidade Federal de São João del Rei.

Luisa Gallo Vilar, Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ). Divinópolis, Minas Gerais.

Acadêmica de medicina da Universidade Federal de São João del Rei.

Marcos Antonio Anacleto Junior, Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ). Divinópolis, Minas Gerais.

Acadêmico de medicina da Universidade Federal de São João del Rei.

Ana Cristina de Lima Pimentel, Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ). Divinópolis, Minas Gerais.

Possui graduação em medicina pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2011), mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2014) e doutorado em Saúde Coletiva pela Fundação Oswaldo Cruz (2018). Atualmente é docente da Universidade Federal de São João Del-Rei. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde sexual e reprodutiva, aborto, controvérsias científicas e ética em pesquisa. 

João Victor Loreto Nalon, Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ). Divinópolis, Minas Gerais.

Acadêmico de medicina da Universidade Federal de São João del Rei.

Isadora Montoaneli Bichara, Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ). Divinópolis, Minas Gerais.

Acadêmica de medicina da Universidade Federal de São João del Rei.

Tiago Marques dos Reis, Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL). Alfenas, Minas Gerais.

Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Alfenas, mestrado em Assistência Farmacêutica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorado em Ciências pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - Universidade de São Paulo. Trabalhou como consultor técnico no Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde. Coordenou o Curso de Capacitação em Dispensação de Medicamentos (modalidade à distância). Foi tutor no curso de Gestão da Assistência Farmacêutica - UFSC/MS e no PET-Saúde/GraduaSUS. Atualmente, é professor adjunto na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Federal de Alfenas. Membro do Grupo de Pesquisa em Assistência Farmacêutica da UNIFAL-MG e colaborador no Centro de Pesquisa em Assistência Farmacêutica e Farmácia Clínica da FCFRP-USP. Possui experiência na área de Farmácia Clínica e Assistência Farmacêutica.

Referências

Miranda GMD, Mendes ACG, Silva ALA. Population aging in Brazil: current and future social challenges and consequences. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2016;19(3):507-19. DOI: https://doi.org/10.1590/1809-98232016019.150140

Duarte ABS, de Macêdo ISV, de Assis KMA, Barros AES. Medicamentos inapropriados para idosos: uma revisão. In: 4º Congresso Internacional de Envelhecimento Humano; 2015 Set 21-26; Campina Grande, PB, Brasil. Campina Grande: Editora Realize; 2015.

Goldman L, Schafer AI. Goldman-Cecil: Medicina. 25ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2018.

Manso MEG, Biffi ECA, Gerardi TJ. Inappropriate medication use in older adults with chronic diseases in a health plan in São Paulo, Brazil. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2015;18(1):151-64. DOI: https://doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14056

Oliveira MG, Amorim WW, Oliveira CRB, Coqueiro HL, Gusmão LC, Passos LC. Consenso brasileiro de medicamentos potencialmente inapropriados para idosos. Geriatr Gerontol Aging. 2016;10(4):168-81. DOI: https://doi.org/10.5327/Z2447-211520161600054

American Geriatrics Society 2015 Beers Criteria Update Expert Panel. American Geriatrics Society 2015 Updated Beers Criteria for Potentially Inappropriate Medication Use in Older Adults. J Am Geriatr Soc. 2015;63(11):2227-46. DOI: https://doi.org/10.1111/jgs.13702

Alvarenga JM, Loyola Filho AI, Giacomin KL, Uchoa E, Firmo JOA. Uso de benzodiazepínicos entre idosos: o alívio de “jogar água no fogo”, não pensar e dormir. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2015;18(2):249-58. https://doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14045

Pottie K, Thompson W, Davies S, Grenier J, Sadowski CA, Welch V, et al. Deprescribing benzodiazepine receptor agonists: Evidence-based clinical practice guideline. Can Fam Physician. 2018;64(5):339-51.

Reeve E, Gnjidic D, Long J, Hilmer S. A systematic review of the emerging definition of 'deprescribing' with network analysis: implications for future research and clinical practice. Br J Clin Pharmacol. 2015;80(6):1254-68. DOI: https://doi.org/10.1111/bcp.12732

Griffin CE 3rd, Kaye AM, Bueno FR, Kaye AD. Benzodiazepine pharmacology and central nervous system-mediated effects. Ochsner J. 2013;13(2):214-23.

Ministério da Saúde (BR), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Panorama dos dados do sistema nacional de gerenciamento de produtos controlados: um sistema para o monitoramento de medicamentos no Brasil. Boletim de Farmacoepidemiologia. Brasília (DF): Anvisa; 2011. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/sngpc/boletins/2011/boletim_sngpc_2edatualizada.pdf.

Ministério da Saúde (BR), Grupo Hospitalar Conceição. Gerência de Ensino e Pesquisa. Diretrizes Clínicas/Protocolos Assistenciais. Porto Alegre: Manual Operacional; 2008.

Parr JM, Kavanagh DJ, Cahill L, Mitchell G, Young R. Effectiveness of current treatment approaches for benzodiazepine discontinuation: a meta-analysis. Addiction. 2009;104(1):13-24. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1360-0443.2008.02364.x

Alvarenga JM, Giacomin KC, Loyola Filho AI, Uchoa E, Firmo JOA. Uso crônico de benzodiazepínicos entre idosos. Rev Saúde Pública. 2014;48(6):866-72. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048004986

Reeve E, Shakib S, Hendrix I, Roberts MS, Wiese MD. Review of deprescribing processes and development of an evidence-based, patient-centred deprescribing process. Br J Clin Pharmacol. 2014;78(4):738-47. DOI: https://doi.org/10.1111/bcp.12386

Baillargeon L, Landreville P, Verreault R, Beauchemin JP, Grégoire JP, Morin CM. Discontinuation of benzodiazepines among older insomniac adults treated with cognitive-behavioural therapy combined with gradual tapering: a randomized trial. CMAJ. 2003;169(10):1015-20.

Voshaar RC, Couvée JE, van Balkom AJ, Mulder PG, Zitman FG. Strategies for discontinuing long-term benzodiazepine use: meta-analysis. Br J Psychiatry. 2006;189(3):213-20. DOI: https://doi.org/10.1192/bjp.189.3.213

Lader M, Tylee A, Donoghue J. Withdrawing benzodiazepines in primary care. CNS Drugs. 2009;23(1):19-34. DOI: https://doi.org/10.2165/0023210-200923010-00002

Coluci MZO, Alexandre NMC, Milani D. Construção de instrumentos de medida na área da saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2015;20(3):925-36. https://doi.org/10.1590/1413-81232015203.04332013

Marconi MA, Lakatos EM. Técnicas de pesquisa. 7ª ed. São Paulo: Editora Atlas; 2013.

Hernández-Nieto R. Contributions to statistical analysis. Mérida: Universidad de Los Andes; 2002.

Dias RCB. Método Delphi: Uma descrição de seus principais conceitos e características [Monografia]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2007. 80 p.

Anacleto Junior MA. Protocolo de Desprescrição do Clonazepam em Idosos [Internet]. OSF; 2019. Disponível em: osf.io/drj52.

Naloto DCC, Lopes FC, Barberato-Filho S, Lopes LC, Del Fiol FS, Bergamaschi CC. Prescrição de benzodiazepínicos para adultos e idosos de um ambulatório de saúde mental. Ciênc Saúde Coletiva. 2016;21(4):1267-76. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015214.10292015

Ministério da Saúde (BR). Portaria Nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2017.

Hoffmann T, Warrall L. Designing effective written health education materials: considerations for health professionals. Disabil Rehabil. 2004;26(9):1166-73. DOI: https://doi.org/10.1080/09638280410001724816

Harrington HJ. Aperfeiçoando processos empresariais: estratégia revolucionária para o aperfeiçoamento da qualidade, da produtividade e da competitividade. São Paulo: Makron Books; 1993.

Farrell B, Tsang C, Raman-Wilms L, Irving H, Conklin J, Pottie K. What are priorities for deprescribing for elderly patients? Capturing the voice of practitioners: a modified Delphi process. PLoS One. 2015;10(4):e0122246.

DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0122246

Nakao M, Takeuchi T, Nomura K, Teramoto T, Yano E. Clinical application of paroxetine for tapering benzodiazepine use in non‐major‐depressive outpatients visiting an internal medicine clinic. Psychiatry Clin Neurosci. 2006;60(5):605-10. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1440-1819.2006.01565.x

Brett J, Murnion B. Management of benzodiazepine misuse and dependence. Aust Prescr. 2015;38(5):152-5. DOI: https://doi.org/10.18773/austprescr.2015.055

Pasquali L. Psicometria: teoria dos testes na psicologia e na educação. 1ª ed. Petrópolis: Vozes; 2017.

Pedreira RBS, Rocha SV, Santos CA, Vasconcelos LRC, Reis MC. Validade de conteúdo do instrumento de avaliação da saúde do idoso. Einstein (São Paulo). 2016;14(2):158-77. DOI: https://doi.org/10.1590/S1679-45082016AO3455

Marques JBV, Freitas D. Método DELPHI: caracterização e potencialidades na pesquisa em Educação. Pro-Posições. 2018;29(2):389-415. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-6248-2015-0140

Lima ACMACC, Bezerra KC, Sousa DMN, Rocha JF, Oriá MOB. Construção e validação de cartilha para prevenção da transmissão vertical do HIV. Acta Paul Enferm. 2017;30(2):181-9. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-0194201700028

Oliveira SC, Lopes MVO, Fernandes AFC. Construção e validação de cartilha educativa para alimentação saudável durante a gravidez. Rev Lat Am Enferm. 2014;22(4):611-20. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-1169.3313.2459

Ashton H. The treatment of benzodiazepine dependence. Addiction. 1994;89(11):1535-41. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1360-0443.1994.tb03755.x

Benzodiazepine Equivalents Conversion Calculator [Internet]. ClinCalc.com; 2017 [acesso 2019 Set 25]. Disponível em: https://clincalc.com/Benzodiazepine.

Publicado
2020-03-16
Como Citar
Baldoni, A. D. O., Zadra, P. F., Vilar, L. G., Anacleto Junior, M. A., Pimentel, A. C. de L., Nalon, J. V. L., Bichara, I. M., & dos Reis, T. M. (2020). Elaboração e validação do protocolo de desprescrição do clonazepam em idosos. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 15(42), 2105. https://doi.org/10.5712/rbmfc15(42)2105
Seção
Artigos de Pesquisa